8 de set de 2015

Quando Comecei a Amar-me...

Poema de Charlie Chaplin, escrito no seu 70º aniversário,
em 16 de abril de 1959

Chaplin poema

Quando comecei a amar-me
Eu entendi que em qualquer momento da vida, estou sempre
no lugar certo na hora certa.
Compreendi que tudo o que acontece está correto.
Desde então, eu fiquei mais calmo.
Hoje eu sei que isso se chama CONFIANÇA.

Quando eu comecei a me amar, entendi o quanto isso pode ofender alguém
Quando eu tentei impôr minha vontade sobre esta pessoa,
Mesmo sabendo que não era o momento certo e a pessoa não estava preparada para isso,
E que, muitas vezes, essa pessoa era eu mesmo.
Hoje, sei que isto significa DESAPEGO.

Quando comecei a amar-me
Eu pude compreender que dor emocional e tristeza
são apenas avisos para que eu não viva contra minha própria verdade.
Hoje, sei que a isso se dá o nome de AUTENTICIDADE.

Quando comecei a amar-me
Eu parei de ansiar por outra vida
e percebi que tudo ao meu redor é um convite ao crescimento.
Hoje eu sei que isso se chama MATURIDADE.

Quando comecei a amar-me
Parei de privar-me do meu tempo livre
e parei de traçar magníficos projetos para o futuro.
Hoje faço apenas o que é diversão e alegria para mim,
o que eu amo e o que deixa meu coração contente,
do meu jeito e no meu tempo.
Hoje eu sei que isso se chama HONESTIDADE.

Tratei de  fugir de tudo o que não é saudável para mim,
de alimentos, coisas, pessoas, situações
e de tudo que me puxava para baixo e para longe de mim mesmo.
No início, pensava ser "egoísmo saudável",
Mas hoje eu sei que trata-se de de AMOR PRÓPRIO.

Quando comecei a amar-me
Parei de querer  ter sempre razão
Dessa forma, cometi menos enganos.
Hoje eu reconheço que isso se chama HUMILDADE.

Quando comecei a amar-me
Recusei-me a viver no passado
e preocupar-me com meu futuro.
Agora eu vivo somente  este momento onde tudo acontece.
Assim que eu vivo todos os dias e isto se chama CONSCIÊNCIA.

Quando comecei a amar-me
Reconheci, que meus pensamentos
podem me fazer infeliz e doente.
Quando eu precisei da minha força interior,
minha mente encontrou um importante parceiro.
Hoje eu chamo esta conexão de SABEDORIA DO CORAÇÃO.

Não preciso mais temer discussões,
conflitos e problemas comigo mesmo e com os outros,
pois até as estrelas às vezes chocam-se umas contra as outras
e criam novos mundos.
Hoje eu sei que isto é VIDA!

3 de set de 2015

Pré-Escola: Canoas abre inscrições em 1º de Setembro


A Prefeitura de Canoas abrirá inscrições para a Pré-Escola pela internet nas 38 escolas de Educação Infantil, no período de 1º a 30 de setembro. As vagas serão distribuídas de acordo com sorteio público a ser realizado ainda em 2015.
A Lei Federal 2796/2013 determina que crianças de quatro e cinco anos de idade, completos até 31 de março de 2016, deverão frequentar a Pré-Escola, o início da formação da Educação Básica. São quatro horas de aula diárias para cada turma.

28 de ago de 2015



Informe 01/2015

Será aberto novo período de inscrições para Estágio em Canoas. Todos estudantes, conforme edital 251/2015 (Chamamento Público 18/2015 - publicado no Diário Oficial de Canoas em 14/08/2015), poderão realizar sua inscrição a partir das 12 horas do dia 01 de setembro de 2015, até as 23 horas e 50 minutos do dia 07 de setembro de 2015, pela internet no endereço http://sistemas.canoas.rs.gov.br/estagio/ ou www.canoas.rs.gov.br

Requisitos para inscrição:
  • idade mínima de 16 anos completos no momento em que for chamado para ocupar a vaga;
  • nos casos de ensino superior, deverá estar matriculado e cursando, pelo menos, 6 (seis) créditos;
  • nos casos de ensino técnico, deverá estar matriculado e cursando, pelo menos, 2 disciplinas;
  • possuir e-mail para acompanhar o chamamento;
  • possuir RG (Carteira de Identidade) e CPF (Cadastro de Pessoa Física);
  • realizar sua inscrição via internet, através desta página, preenchendo adequadamente todos os dados solicitados e enviando seu currículo ao final da inscrição; 
  • manter seus dados atualizados.
  • Estudantes com interesse em atuar no Programa de Inclusão, deverão encaminhar-se diretamente à Central de Estágios e realizar a inscrição, portando os documentos citados acima.

Setor de Estágio
estagio@canoas.rs.gov.br

Perguntas Frequentes:

1. Quem pode fazer a inscrição para estágio na Prefeitura de Canoas?
Qualquer estudante que esteja cursando o ensino médio, ensino técnico ou ensino superior.

2. Como é feita a seleção?
Após o cadastro, o estudante ficará em lista de espera por ordem de inscrição, na área de conhecimento do curso que está matriculado. O chamamento é realizado respeitando a ordem da lista de espera. Estudantes com deficiência terão prioridade no chamamento, em respeito às exigências legais (art. 19, da Lei 11.788/2008). 

3. Qual a duração do estágio?
O estágio poderá durar no máximo 24 (vinte e quatro) meses, exceto para pessoas com deficiência. A cada seis meses, obrigatoriamente, há procedimento de renovação de contrato.

4. Quais são os critérios para renovar o contrato de estágio?
Além do interesse de ambas as partes, para a renovação do contrato, o estudante deve ter sido aprovado no ensino médio, ou, se estudante de ensino superior, obter aprovação em pelo menos 6 (seis) créditos.  

5. Quais os critérios para rescisão do contrato de estágio?
O contrato poderá ser rescindido por decisão da administração, do estudante ou automaticamente nos casos de: 
- reprovação no ensino médio, ou, se estudante do ensino superior, não obter aprovação em pelo menos 6 (seis) créditos;
- transferência de curso que resulte em troca de área de conhecimento, exceto nos casos de progressão de escolaridade: médio para técnico ou superior, técnico para superior.
- desistência do curso ou cancelamento de matrícula;
- trancamento de disciplinas que resulte em frequência em menos de 6 (seis) créditos, para ensino superior;
- completar 24 (vinte e quatro) meses de estágio na Prefeitura de Canoas.

6. Qual o valor da Bolsa Auxílio?
O contrato é firmado com o estudante junto ao CIEE. A Bolsa Auxílio é paga por hora de estágio, sendo no mínimo 4 horas e no máximo 6 horas diárias e será paga por mês.

O valor da Bolsa Auxílio será complementada pelo Auxílio Transporte por dia de estágio.

7. Como devo proceder para corrigir meus dados em caso de erro?
Faça login no site e edite os dados.

8. É obrigatório anexar o currículo no momento da inscrição?
O currículo poderá ser anexado em outro momento ou poderá ser entregue no momento do chamamento.

9. Não achei meu curso na hora da inscrição.
Inscreva-se na Área de Conhecimento mais aproximada, pois os chamamentos são realizados por este critério.

10. Há uma mensagem que informa que eu não posso me inscrever. O que fazer?
Essa mensagem ocorre quando o aluno já está estagiando ou é funcionário da Prefeitura de Canoas. Caso esta informação esteja incorreta, entre em contato com o setor de estágio pelo e-mail: estagio@canoas.rs.gov.br

11. Tenho 15 anos, posso me inscrever?
Para ser estagiário, todo estudante deve ter no mínimo 16 anos completos no momento do chamamento, e não no momento da inscrição.

12. Como faço para receber minha senha de acesso?
Ao terminar sua inscrição receberás uma mensagem com a senha. Caso tenha esquecido ou perdido a senha, acesse o site e clique em "Esqueceu sua senha?". Será enviado um e-mail para o endereço cadastrado. Atenção: Caso não identifique o e-mail em sua caixa de entrada, procure junto aos SPAMs.


http://www.canoas.rs.gov.br/downloads/EDITAL_251-2015_CHAM_PUB_18-2015.pdf




18 de ago de 2015

A Razão da desrazão do Vício


Muitas vezes quando cruzamos uma rua, um beco sombrio da cidade, avistamos pessoas, ou pelo menos o que resta de sua humanidade; agrupadas, maltrapilhas e na maioria das vezes com aspecto de sujas. Logo sabemos que se trata de usuários dependentes de drogas. Então, quase que de imediato nos vem à indagação no pensamento: Qual a razão de alguém conscientemente se desumanizar dessa maneira, deixar que o vício se torne a sua razão de existir? Um prazer fugaz que vai apagando o que já foi ou tentou ser um dia.
Esse é o ponto em que quero chegar, talvez, seja esta a questão, tornar-se animalizado, ignorando todas as regras da sociedade para se libertar daquilo que nunca fora. Transcender para um nada, como dizia Haideguer, um nada social, um desistente que tira o traje biomecânico e deixa só o animal inconsciente e alheio a todas as demandas e convenções da sociedade, vivendo apenas pelo intenso e passageiro prazer da droga.
http://www.obrasilcoms.com.br/2013/06/andarilho-por-cao-guimaraes/
Assim, como tudo que é humano deve ser dotado de alguma razão, esta aparente desrazão é que dá sentido a existência, como se esta auto exclusão o tivesse transformado num inumano, uma sombra andante, sem regras, sem convenções, um suicidado que vaga espiando a vida que desistiu de viver.
Quantos de nós já não fizemos isso por outros caminhos, com sutileza e com menos radicalidade?

Julio Ribeiro

3 de ago de 2015

Copom eleva juros e penaliza ainda mais a produção

Augusto Vasconcelos*

Reafirmamos nossa crítica veemente à mais uma elevação da taxa Selic decidida pela reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), do Banco Central, ontem. Atendendo aos interesses do mercado financeiro, com apoio dos editorias da mídia hegemônica, o BC vira as costas para a indústria e o setor produtivo, penalizando a sociedade, especialmente os trabalhadores.

imagem: http://www.vermelho.org.br/noticia/258019-2

Com o novo aumento de 0,5%, a taxa chegou ao patamar de 14,25%, um verdadeiro absurdo em face do cenário de crise econômica internacional que nos atinge em cheio.

Desde a implantação do Plano Real, a Selic tem sido utilizada como equivocado instrumento para "supostamente" debelar a inflação, produzindo efeito colateral de ampliar a transferência de recursos do Tesouro para os maiores bancos, principais credores da dívida pública. O discurso do Ministério da Fazenda de que é necessário promover ajuste fiscal, cai por terra na medida em que cada elevação da Selic amplia significativamente o próprio endividamento público.

Precisamos fugir dessa armadilha. A inflação brasileira não deve ser combatida pela demanda, que inclusive está retraída em face do contexto desfavorável da economia. 

Temos que ampliar os investimentos produtivos e, para isso, necessitamos de condições mais propícias, o que certamente o aumento dos juros não nos atenderá. Em recente reunião das Centrais Sindicais com a presidenta da República, Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto, reafirmei nossa posição contrária às medidas recessivas adotadas pela equipe econômica, ao tempo em que expressamos posição firme de defesa da democracia e preservação do ambiente institucional.

Em um momento onde se ensaiam tentativas de desestabilização institucional do país, com propostas de deposição da presidenta, não podemos flertar com posturas golpistas, até porque a saída de Dilma deixaria o caminho livre para que a captura do poder público fosse ainda maior por parte das grandes corporações econômicas, especialmente o sistema financeiro. Mas, ao passo em que disputamos a agenda nacional, devemos denunciar atitudes que dificultam a saída da crise e não contribuem para uma repactuação com setores da sociedade que querem verdadeiramente a transformação do país.

Todos os patriotas e lutadores sociais devem se unir nesse perigoso momento. Não sejamos ingênuos! Sigamos juntos contra o golpe, por mais democracia e mudanças na política econômica.


 *Advogado,
professor universitário,
Mestre em Políticas Sociais e Cidadania (UCSAL),
Especialista em Direito do Estado (UFBA),
Presidente do Sindicato dos Bancários da Bahia,
integrante do Comitê Central do PCdoB. 

27 de jul de 2015

Utilidade Pública

Recicle Mais, Pague Menos

Trocar resíduos sólidos recicláveis por bônus que podem zerar a conta de luz dos clientes residenciais. Esta é a finalidade do projeto Recicle Mais, Pague Menos, implantado em 2013 pela AES Sul.
O projeto contribui, visivelmente, com o tripé de sustentabilidade (social, econômico e ambiental) ao fortalecer a autoestima e dignidade da comunidade pela diminuição da quantidade de lixo descartado nas ruas, em seu entorno; ao contribuir com o orçamento familiar; e, ainda, ao fomentar o descarte correto de materiais que podem ser reciclados (aspecto ambiental).
O Recicle Mais, Pague Menos busca arrecadar até junho de 2015 cerca de 1.710 toneladas de materiais recicláveis e contribuir com o orçamento de pelo menos 40 mil famílias de baixa renda.
Como funciona - o cliente leva os materiais até um posto de coleta e faz o cadastro com uma conta de energia a partir do Código de Cliente. Os resíduos são pesados e os créditos somados, creditados na próxima fatura de energia elétrica. Em cada pesagem é emitido um comprovante da transação de modo que possa ser controlado pelo cliente. A remuneração por cada tipo de material segue valores de mercado. Não há limite de volume, o que possibilita ao cliente inclusive zerar sua conta e acumular créditos para a conta do mês seguinte.
Todos os clientes residenciais da AES Sul podem participar desde que levem os resíduos até um dos postos de coleta. Os itens aceitos no projeto (metal, papel, plástico, vidro e tetra-pak) são amplamente divulgados, pois seguem parâmetros de viabilidade de reciclagem. Os postos de coleta podem ter dois formatos: uma tenda (volante) e um contêiner (fixo), ambos têm a mesma estrutura de atendimento.

Postos de Coleta
Canoas:
Posto de Coleta - Matias Velho
Avenida Rio Grande do Sul, 1.790, Mathias Velho – Canoas/RS.
Localizado no estacionamento do Centro Social Urbano Mathias Velho.
Funcionamento: de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h e aos sábados das 8h30 às 11h30.
Posto de Coleta - Igara
Rua das Azaleias, 189, Igara – Canoas/RS
Localizado na Associação de Moradores do Jardim Igara II.
Funcionamento: de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h e aos sábados das 8h30 às 11h30.
São Leopoldo:
Posto de Coleta - Rissul Feitoria
Avenida Feitoria, 1.383, Feitoria – São Leopoldo/RS.
Localizado no estacionamento do Supermercado Rissul.
Funcionamento: de segunda à sexta-feira, das 8h30 às 12h e das 13h às 17h30 e aos sábados das 8h30 às 11h30.
Posto de Coleta - Macromix Scharlau
Avenida Tomás Edison, 2.598, Bairro Scharlau, São Leopoldo/RS.
Localizado no estacionamento do Supermercado Macromix.
Funcionamento: de segunda à sexta-feira, das 8h30 às 12h e das 13h às 17h30 e aos sábados das 8h30 às 11h30.




9 de jul de 2015

VLT no lugar do metrô em Porto Alegre

     Quando vim de Santigo com meus pais em 1980, cheguei à capital e tudo era novo, gigantesco e urbano.  A propósito, vim de trem e de cabine, foi meu presente de aniversário de 14 anos. E naquela época, Porto Alegre já acalentava o sonho de ter um metrô, talvez, como uma necessidade de status para integrar o grupo das grandes metrópoles mundiais. Mas o tempo passou, o trem que me trouxe deixou de circular, enquanto isso a população, a frota automotiva e a poluição aumentaram freneticamente. Contudo, a mobilidade urbana, conceito recorrente na última década, não conseguiu acompanhar o ritmo dos tempos.  Agora, voltamos ao debate do metrô da capital como a novo-velha solução para o grave problema da mobilidade e do risco de um colapso no nosso trânsito, como ocorre atualmente com grandes cidades do país.
     Os usuários do transporte coletivo sonham com um metrô, principalmente na hora do rush, um meio de transporte que respeita e dignifica o trabalhador e ainda atraia outros setores e camadas sociais que hoje não utilizam os ônibus, alegando falta de qualidade.
     Mas o caminho é longo, difícil e caro: “Muitos ficam maravilhados com o metrô de Paris, mas ele começou há 170 anos. Em dez anos, você não faz nada parecido”, pondera Luis Carlos Pimenta, presidente da Volvo Bus Latin America.
   Por todas estas razões, penso que devemos buscar alternativas, novas soluções em outros modais e defendo como forma viável em lugar do metrô, a implantação do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), que é um pequeno trem urbano movido à eletricidade. Sua envergadura permite que sua estrutura de trilhos se encaixe harmonicamente nos centros urbanos modernos. O VLT é uma espécie de Metrô de Superfície. A trinta e cinco anos não imaginávamos que a boa e velha bicicleta poderia se transformar em uma alternativa de transporte para as grandes cidades, também é difícil acreditar que recém agora, estamos acordando para o potencial hidroviário que sempre esteve aqui ao nosso dispor. Saber que os mesmos trilhos dos trens de passageiros que ajudaram a desenvolver este estado ainda estão lá, subutilizados, apenas por poucos trens de carga. Só para não sair da região metropolitana, existe uma linha intacta, ou pior, criando mato, que vai de Porto Alegre a Nova Santa Rita, contornado Canoas, esta poderia muito bem ser utilizada como modal de transporte coletivo adequando vagões menos modernos do trensurb para trazer milhares de pessoas de Nova Santa Rita e dos bairros Mathias Velho e Harmonia, de Canoas para a capital. Por falar em Canoas, aqui estamos apostando no Aeromóvel que pode sim ser uma opção boa e barata para transportar com dignidade nossos cidadãos.
     Claro que um metrô novinho no subterrâneo da Avenida Farrapos seria maravilhoso, mas o custo elevado, em um contexto econômico difícil, onde os entes da união interessados e partícipes estão com problemas de contenção de despesas. Quando uma PPP “Parceria Pública Privada” é apontada como solução para o impasse, fica difícil de acreditar na viabilidade desta empreitada. Só para exemplificar, para cada passageiro de ônibus transportado, custa quatro vezes mais no VLT e vinte vezes mais no metrô. Com o valor dos mesmos onze quilômetros do projeto do metrô de Porto Alegre, se poderiam fazer cinquenta quilômetros de vias para o VLT, cidades como Montpellier (França), Rotterdam (Holanda), Houston (EUA), Porto (Portugal) e Londres (Inglaterra) só para dar alguns exemplos, utilizam com sucesso e muita modernidade o VLT como meio de transporte urbano para seus cidadãos e ainda enchem os olhos dos turistas que os visitam.
     Além do mais, o problema não para na obra e fim, o metrô é caro para fazer e mais caro ainda para manter, pois praticamente todos os metrôs do mundo são subsidiados, ou seja, o poder público tem que pagar um pouco de cada passagem se não fica muito caro e afugenta os usuários. Em Londres, cidade com uma das melhores redes, os especialistas estimam que a subvenção do governo esteja na casa dos bilhões ao ano, para garantir tarifas baixas e atratividade de passageiros. A PPP ou Parceria Pública Privada requer obviamente, dinheiro de investidores privados. Ora, não precisa nem ser capitalista para saber que o investimento privado pressupõe busca de lucro. Mas como buscar lucro em algo que desde o nascedouro se sabe que dá prejuízo e que o poder público que poderia arcar com a devolução com lucro do dinheiro privado, atualmente está com dificuldades de pagar até seus compromissos mais elementares.
     Minha contribuição é no sentido de apresentar uma reflexão para uma alternativa viável, moderna, limpa e financeiramente exequível para o transporte coletivo, da capital de todos os gaúchos.
Professor Julio Ribeiro
Sociólogo
Pós-Graduado em
Filosofia e Economia Política - PUCRS


VTL's pelo mundo


Cidade do Porto – Portugal

Montpellier (França)
Paris
Imagem: http://blogs.diariodepernambuco.com.br/mobilidadeurbana/2014/01/a-volta-dos-bondes-na-versao-vlt-como-alternativa-de-transporte/
Holanda

Strasbourg (França)
Imagem:
 http://qualidadeurbana.blogspot.com.br/2007/09/vlt-veiculo-leve-sobre-trilhos.html
______________________

Metrô

Metro subterrâneo Madri
Imagem: http://www.institutoconstruir.org/



8 de jul de 2015

Entrega das japonas na rede municipal de ensino de Canoas

Tive a honra de ser designado para representar o prefeito Jairo Jorge na entrega das japonas do uniforme escolar, na maior escola do município de Canoas a EMEF Prof. Thiago Wurth, que tem à frente o experiente e batalhador Diretor José. Fui recebido calorosamente pela direção, professores, funcionários e educandos. Tenho muito carinho por todos, pois quando fui diretor do Colégio Estadual Tereza Francescutti que fica na mesma região, sempre mantivemos uma relação de colaboração e parceria com esta escola.


_______________________________________________________________________________

Entrega das Japonas do uniforme escolar na EMEI Vó Sara, no Bairro Mathias Velho. Um começo de semana motivador pelo carinho recebido dos pequenos e pela satisfação de fazer parte de um governo que tem sensibilidade para com nossas crianças.

30 de jun de 2015

Defendo os Trabalhadores, sou contra o projeto de terceirização!

   
 O trabalho humano é a principal fonte para agregar valor a um bem. E em momentos difíceis, também serve como possibilidade de manter o lucro do capital ou minimizar sua crise, espremendo mais ainda o seu basilar meio de acumulação, o trabalhador. Nesta lógica, mas sob o pretexto de regularizar a vida de 11 milhões de trabalhadores terceirizados o PL 4330 de autoria do deputado federal Sandro Mabel (PMDB-GO), que legaliza a contratação de prestadoras de serviços para executarem atividades-fim nas empresas brasileiras. O problema é que seu efeito “destrutivo” é infinitamente maior que o “construtivo”. Pois, Consequentemente, torna nula a CLT e joga no lixo os direitos dos trabalhadores conquistados com sacrifício, suor, lagrimas e sangue ao longo de várias décadas.
    De acordo com o Dieese, em média um trabalhador terceirizado trabalha três horas a mais por semana e ganha 27% menos que um empregado direto e 4 em cada 5 acidentes de trabalho ocorrem com trabalhadores terceirizados.
    A CTB juntamente com outras centrais sindicais, afirmam que, se aprovado, esse projeto, contribuirá com a precarização do trabalho de 37 milhões de trabalhadores e trabalhadoras desse país. Sustentam que os chamados “coopergatos'' (cooperativas montadas para burlar impostos) e as pessoas-empresa (os conhecidos “PJs'') irão se multiplicar e o nível de proteção do trabalhador cair. Segundo eles, setores como empresas têxteis, de comunicações e do agronegócio têm atuado pela legalização da terceirização em qualquer atividade com pesados lobbies no Congresso Nacional.
    Um parecer assinado por 19 dos 26 ministros do Tribunal Superior do Trabalho foi enviado à Câmara dos Deputados, criticando o projeto de lei e alertando para as consequências negativas de sua aprovação. Ao permitir a generalização da terceirização para toda a economia e a sociedade, certamente provocará gravíssima lesão aos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários no país, com a potencialidade de provocar a migração massiva de milhões de trabalhadores hoje enquadrados como efetivos das empresas e instituições tomadoras de serviços em direção a um novo enquadramento, como trabalhadores terceirizados, deflagrando impressionante redução de valores, direitos e garantias trabalhistas e sociais. 


“Trabalhadores do Brasil uni-vos”! Ou as consequências serão incalculáveis e irreversíveis.


Julio Ribeiro

27 de jun de 2015

Aniversário de Canoas

Parabéns a cidade que me acolheu com tanto carinho!
Parabéns Canoas!
27.06.2015

Feira do Livro de Canoas

Sábado ensolarado uma boa oportunidade para visitar a nossa Feira do Livro de Canoas, confirmando sua posição de segunda maior feira do livro do Estado. Assistimos a entrevista do escritor cubano Leonardo Padura que escreveu entre outros, " O Homem que Amava os Cachorros " sobre o assassinato do Trotsky.


________________________________________________




" A Chegada dos Tamptons " é o nome do livro do Fernando Lima que foi lançado no dia 24/06, na Feira do Livro de Canoas. Tamptons são bonequinhos feitos de tampinhas de garrafas Pet .

Entrega da quadra coberta


Na semana do aniversário de 76 anos de Canoas quem recebe o presente são as crianças. Inauguramos hoje, dia 24, a quadra coberta da Escola Odette Yolanda Freitas no bairro Mathias Velho, dirigido pela batalhadora diretora Ana Cori.


_____________________________________


Um grande sonho de centenas de estudantes foi realizado hoje, dia 24.06, com a entrega, pelo prefeito Jairo Jorge, da quadra coberta da EMEF Ministro Rubem Carlos Ludwig, no bairro Mathias Velho, dirigido pela Daniele Ilha Bertollo que tem demostrado grande empenho e dedicação à escola.

.




23 de jun de 2015

Redução da maioridade penal ou da impunidade?






A Solução encontrada pelo Congresso Nacional para dar alguma resposta à sociedade, diante de um cenário de satanização da política, corrupção e fraude é requentar a Proposta de Emenda à Constituição que reduz a maioridade penal (PEC 171/93), como se isso por si só, fosse o mata-borrão dos males da Nação.
A meu ver, caso aprovada, o prejuízo será imenso para todos nós. Pois, o sistema penitenciário brasileiro está caótico e falido e não comporta nem mesmo a população carcerária já existente, além de serem dominados por facções criminosas que atuam dentro e fora dos grandes presídios, usados como espaço de constante aprimoramento para o crime e recrutamento compulsório de novos membros.
Nessa lógica, quanto mais jovem forem os infratores recolhidos aos grandes presídios, maior será a longevidade do criminoso. Contudo, muitos podem alegar que os bandidos usam os jovens para traficar, matar e carregar as armas. O que pode ser verdade, porém, o que impedirá o bandido aliciador de reduzir a idade também para o ingresso no crime, de 16 para 15 ou 14 anos?
Imagem Gnotícias
No âmago da questão está o clamor pelo combate a toda e qualquer impunidade, que as pessoas tenham a certeza da punibilidade, saibam que ao cometerem qualquer ato criminoso como matar, machucar, dirigir embriagado e causar acidentes, desmatar as florestas, jogar lixo em mananciais, adulterar leite, fraudar licitações, sonegar, roubar, enganar, lesar, traficar, ameaçar, maltratar crianças, idosos e até animais, seriam responsabilizados e presos.
Uma sociedade tolerante em demasia não educa seus cidadãos e não consegue estabelecer regras claras e transparentes a fim de fortalecer o aparato das instituições garantidoras da observância das normas. O que se forja nesse contexto, é o surgimento de políticos que relativizam o conceito de honestidade, além de naturalizar uma gama de relações gelatinosas pautadas pelo jeitinho e pela esperteza que permeiam todo o tecido social.

Julio Ribeiro
Professor, sociólogo e
Secretário Especial de Atendimento ao Cidadão